Hoje resolvi mandar uma de Madame Psicose (em homenagem ao imortalizado DFW, uma espécie de inside joke para quem leu o Infinite Jest), aos sofredores de burnout, aos hiperactivos, hiperfrenéticos e hiperneuróticos, aos deprimidos e frustrados. Às tensões geopolíticas, às crises climáticas, à escassez da água até 2050, ao colapso económico, à especulação imobiliária, àsContinuar lendo

A ilha

Estamos numa ilha, numa ilha onde já tínhamos estado de passagem. Recordo-me daquelas águas tranquilas e mornas e da palmeira tombada. Não tinha planos de acordar numa ilha e sinto no corpo um estremecimento estranho, como se tivesse acordado de repente, de um sono longo e profundo.  -Tenho a sensação de andarmos aqui às voltas.Continuar lendo “A ilha”

Poema sobre a negatividade

D’ora em diante ser em lado nenhum de modo nenhum  ao menos isso  D’ora em diante parecer até fartar dalgum modo sorrir sem corar tentar dizer sabendo o mínimo Nem ter tempo para tentar tentar dizer  ou fazer  outros ver  saídas que não as há  tentar dizer nada a saber  nada a dizer  nada aContinuar lendo “Poema sobre a negatividade”

Hoje acordei muito DFW

Aguardava deitada de costas no sofá a análise de todos os feitos práticos e espirituais deste dia. A vida não é má, se todos os dias se concluíssem no sofá. Olho para cima e planando sobre a minha cabeça, leio no mesmo livro e pela milésima vez aquela célebre frase de Degas “ je voudraisContinuar lendo “Hoje acordei muito DFW”